Mortal Kombat Wiki
Advertisement

Os Deuses Ancestrais ou Deuses Anciãos (Elder Gods no original) são as divindades da série Mortal Kombat.

Sobre os Deuses Ancestrais

Os Deuses Ancestrais são as divindades governantes e criadores do universo, apenas sendo ofuscados por entidades como os Titãs ou o Único Ser. Ao contrário dos Titãs, cujos poderes estão ligados às leis que regem a realidade, como o tempo, os poderes dos Deuses Anciões estão mais relacionados a conceitos físicos como vida/morte e os elementos. Enquanto outros Deuses só têm jurisdição sobre um único reino e normalmente representam um elemento, os Deuses Anciões são mais etéreos e têm poder em todos os reinos do universo. Os rostos vagos dos Deuses Anciãos vistos em Mortal Kombat 4, e a aparição de Shinnok no mesmo jogo, sugerem que os Deuses Anciãos nascidos naturalmente têm pele azul acinzentada e uma aparência humanóide. Outra fonte diferente de sua forma é encontrada no Modo Konquest de Deception, onde um diálogo invertido afirma que, em sua forma mais pura, o Deus Ancião se assemelha ao logotipo do Mortal Kombat.

História

1° Linha de Tempo

Antes dos reinos de Mortal Kombat virem a existir, havia o Único Ser, que compreendia toda a realidade conhecida. O Único Ser eventualmente permitiu a criação dos Titãs e dos Deuses Anciões de sua própria substância. No entanto, o Único Ser se alimentou dos Deuses Anciões neste ponto, drenando sua essência e consumindo-os, e eles desejavam destruí-lo e criar seres inferiores de sua essência para que pudessem governar. Os Deuses Ancestrais travaram uma guerra e criaram os Kamidogu, armas poderosas usadas para quebrar o Único Ser nos incontáveis ​​reinos que compõem o universo de Mortal Kombat.

Mesmo que o Único Ser tenha sido despedaçado, sua mente dividida influenciou certos indivíduos excepcionalmente poderosos para fundir os reinos e se reconstituir. A princípio agiu por meio de Onaga e mais tarde por meio de Shao Kahn, ambos inconscientes de suas manipulações. Ele também comanda Onaga durante Mortal Kombat: Deception para fundir os Kamidogus em um, e aparentemente apenas Ermac é capaz de notar sua vaga presença.

A regra dos Deuses Anciões de não interferência nos assuntos mortais que não ameaçam sua própria existência foi evidente quando Shao Kahn, Imperador da Exoterra, fundiu o Plano Terreno com a Exoterra para reclamar sua esposa, a Rainha Sindel, em violação direta das regras sagradas do Mortal Kombat. Raiden implorou aos Deuses Ancestrais para impedir Kahn, que era exigido por essas regras para ganhar dez torneios consecutivos do Mortal Kombat antes que ele pudesse tomar o Plano Terreno, mas os Deuses não fizeram nada. Assim, os Deuses Anciãos não mostram sinais de serem verdadeiramente benevolentes ou malévolos em relação às várias ameaças apresentadas ao Reino da Terra. Eles geralmente só intervêm se o vilão do jogo representa uma ameaça existencial para a existência dos reinos e arrisca o retorno do Único Ser.

A não intervenção deles quase os pegou desprevenidos quando Shinnok escapou do Submundo e os atacou diretamente, mas devido ao seu status e às forças de Raiden derrotando Shinnok, isso foi evitado. Milênios antes, havia rumores de que eles amaldiçoaram Shang Tsung para consumir as almas de outros mortais para manter sua existência, não sabendo ou não se importando que sua necessidade de devorar almas mortais o levaria a descobrir a localização do Amuleto Sagrado de Shinnok. Eventualmente, esse conhecimento alcançaria Quan Chi, que o usou para libertar Shinnok e pegar o amuleto para si. As habilidades de Shang Tsung, no entanto, foram ensinadas a ele por Shao Kahn séculos atrás. Graças à intervenção de Raiden, Fujin e os campeões do Plano Terreno, Shinnok foi interrompido. Por isso, Raiden foi recompensado por ele mesmo se tornar um Deus Ancião e, como resultado, promoveu seu irmão Fujin como o novo Protetor do Plano Terreno para ocupar seu lugar.

No entanto, Raiden logo se livrou desse status quando a Aliança Mortal surgiu como uma ameaça ao Plano Terreno. Despojando-se da Divindade Ancestral para liderar seus amigos mortais em combate direto, desta vez os esforços de Raiden foram frustrados, com todos os seus aliados mortos ou incapacitados. A ameaça representada pela Aliança Mortal foi discutida, no entanto, quando o Rei Dragão apareceu na cena onde Raiden tinha acabado de ser derrotado pelos dois feiticeiros. Por milênios, Onaga ficou à espera do além da morte para ser ressuscitado e completar sua conquista dos reinos. Capacitados pelo Kamidogu que ele coletou como parte de seu plano, Raiden, Shang Tsung e Quan Chi foram incapazes de parar Onaga. Como um último esforço, Raiden lançou sua essência divina, causando uma explosão massiva, mas Onaga permaneceu ileso. Logo, todas as energias de Raiden se reformaram no Plano Terreno, mas foram corrompidas pela própria essência de Onaga. Isso levou Raiden a acreditar que ele não podia confiar nos Deuses Anciões nem em seus camaradas mortais. Acima de tudo, Raiden estava furioso com o mortal Shujinko por ter sido enganado para ajudar no retorno do Rei Dragão.

Agora cientes de uma possível ameaça a eles e da existência contínua dos reinos (como Onaga havia adquirido todos os Kamidogu e o Amuleto, as ferramentas necessárias para indevir a criação do universo e reconstituir o Único Ser) os Deuses Anciões escolheram intervir nesse momento. Os Deuses Anciões convocaram Scorpion para agir como seu campeão e destruir Onaga. Em troca de seus serviços, eles concordaram em ressuscitar seu clã. No entanto, após a derrota de Onaga, os Deuses Anciões (por razões desconhecidas) ressuscitaram o clã do Scorpion como morto-vivo, em vez de como humanos totalmente restaurados. Scorpion percebeu isso como um ato de traição da parte dos Deuses e se voltou contra eles.

Em Mortal Kombat: Armageddon, é revelado que os Deuses Anciãos previram que um dia o torneio Mortal Kombat seria corrompido, e que os guerreiros participantes se tornariam muito poderosos e numerosos, colocando em risco a segurança e a existência dos reinos. Eles exigiram uma salvaguarda para impedir o Armagedom. Argus, o deus protetor de Edenia, e sua esposa Delia, ajudaram a construir uma pirâmide oculta e criaram um guerreiro elemental conhecido como Blaze para cuidar das competições do Mortal Kombat e julgar quando seus participantes se tornassem muito perigosos. Quando chegasse a hora, Blaze gritaria, despertando os dois filhos de Argus, Taven e Daegon, que desafiariam Blaze no topo da pirâmide. Qualquer filho que ganhasse a batalha se tornaria o novo deus de Edenia e receberia o poder de decidir o destino de todos os outros guerreiros. Se um irmão fosse vitorioso, os kombatentes seriam destituídos de seu poder. Se o outro for o vencedor contra Blaze, os kombatentes seriam despojados de suas vidas.

2° Linha de Tempo

Antes dos Deuses Anciões existirem, o cosmos era governado por um grupo de divindades chamados Titãs. Kronika era um deles, a Titã do Tempo e Espaço.

Os Deuses Ancestrais também aparecem envolta do corpo de Raiden e no Modo de História de Mortal Kombat (2011). Raiden vai até eles, esperando que eles intervenham quando Shao Kahn invadir a Terra. Eles declinam, no entanto, pois, embora ele tenha quebrado as regras, eles se preocupam mais com o perigo dos reinos como um todo do que um reino. No entanto, quando Shao Kahn finalmente entra no Reino da Terra e começa a fundir os dois reinos, os deuses intervieram, vendo Shao Kahn como uma ameaça e salvando Raiden, que estava prestes a enfrentar o mesmo destino de seu futuro eu. Os deuses possuíram o corpo de Raiden e o usaram para derrotar Shao Kahn e destruí-lo por sua insolência.

Quando Shinnok escapou do Submundo e renovou sua guerra contra os Deuses Ancestrais, ele tentou absorver a força vital do Jinsei, e usar o portal de Raiden para os céus para permitir que suas hordas de demônios acessassem os Deuses. Seus planos foram frustrados pelos guerreiros de Plano Terreno, e quando Shinnok foi selado dentro de seu próprio amuleto, Raiden trouxe a relíquia para os Deuses Anciões, ordenando-lhes que a destruíssem. Explicando para Raiden que destruir o amuleto apenas libertaria Shinnok mais uma vez, eles baniram o amuleto para uma dimensão escura usando o Kamidogu vinculado ao sangue de Raiden.

O amuleto seria libertado pelo clérigo do caos Havik muitos anos depois, e Shinnok seria libertado algum tempo depois disso. Shinnok quase conseguiu encenar seu golpe contra seus ex-irmãos, mas foi derrotado mais uma vez.

Depois que o antigo Deus Ancião Shinnok foi decapitado por Raiden, Kronika começou a pôr em prática seus planos para reiniciar a linha do tempo. Várias versões anteriores de kombatentes foram convocadas, incluindo um Raiden anterior que foi consultar os Duses Ancestrais sobre o discurso. Eles disseram que mesmo seu imenso poder era inútil contra Kronika devido ao seu status como Titã, e que Raiden deve assumir o controle de sua Ampulheta para interromper o reinício. Depois que Raiden retorna para consultá-los novamente, todos os Deuses foram derrotados pelo efeito do tempo de Kronika. Cetrion, Deusa Ancestral e filha de Kronika, acaba traindo os outros Deuses como Shinnok fez, ficando do lado de sua mãe a fim de reviver adequadamente seu irmão. Quanto a Fujin, ele foi enviado para um lugar anulado por Kronika por recusar abertamente sua oferta e encontrou Shang Tsung e Nightwolf deslocados no tempo lá, sem o conhecimento de seus respectivos aliados. Cetrion mais tarde seria absorvida por Kronika para que ela conclua seu plano.

Curiosidades

Advertisement